resumo de livros
livros auto-ajuda
livros de psicologia
Aqui está o resume do livro,
feito com o "Summarizer(c)"

Antes de fazer o download do livro, pode ver se há coisas que lhe interessem



Conceitos:
trabalho, primeiro, pergunte, verdadeiro, líder, dar, autoridade, conseguiu, tempo, faça uma lista, Verdadeiro Falso, Falsa, ordem, qualidades, aderentes.

Resumo:
Se conseguiu adquirir uma personalidade carismática e magnética através da aplicação deste método, então possui todos os trunfos para se tornar um líder.

Certas pessoas têm um sentido inato de autoridade.

A maior parte das figuras históricas que tinham carisma eram líderes.

O magnetismo que emanava delas atraía multidões de aderentes e discípulos.

Esta autoridade, este poder pessoal, pode ser adquirido metodicamente.

Em primeiro lugar, vejamos que tipo de poder já possui.

Faça o seguinte teste para determinar se tem ou não, neste momento, as qualidades que o podem tornar um líder.

TESTE: Possui as qualidades de um líder?

O que constitui o poder pessoal de um verdadeiro líder?

Uma pessoa que mostra qualidades de um verdadeiro líder não tem dificuldade alguma em obter apoio eficiente.

Os outros têm todo o prazer em segui-lo, sem sequer pensarem nisso.

Esta é uma das características do verdadeiro poder pessoal.

À medida que o seu poder pessoal se desenvolve, influencia os outros com mais facilidade.

Um verdadeiro líder é alguém que sabe gerir o tempo, que é perfeitamente organizado e sempre pontual.

Respeitando o seu horário, também respeita o dos outros.

Fazer uso do seu poder pessoal é saber convencer os outros.

Portanto, um bom líder é também um bom vendedor, capaz de fazer com que qualquer iniciativa pareça atraente e de mobilizar as pessoas para seguir a sua causa.

Um líder sabe vender-se a si e as suas ideias.

Se seguir o método descrito neste livro, dominará estas quatro habilidades.

Mas antes de desenvolver o seu poder pessoal, é preciso que adopte uma atitude que o separe automaticamente das massas dos seus aderentes anónimos.

Se quiser tirar proveito das suas qualidades de líder, a primeira coisa a fazer é emergir da massa anónima dos seus colegas.

Tem de tornar-se notado e estimado; os seus conselhos, competência e talentos especiais devem ser procurados.

Imponha-se através das suas qualidades e não pisando os outros.

Deixe que os outros o elevem acima das massas, por sua própria iniciativa.

Existem várias maneiras de o fazer, de acordo com o seu estilo de vida e o tipo de trabalho que faz.

Pratique-as em voz alta e faça com que soem naturalmente.

· Sublinhe, com outra cor, os trabalhos normais de rotina.

Agora, faça uma lista das pessoas com quem trabalha.

Para além dos seus nomes, escreva o que considera os seus pontos fortes, as suas especialidades e as suas principais qualidades como profissionais.

Agora, faça a delegação dos trabalhos de rotina da melhor forma possível, de maneira completamente teórica.

Divida a carga de trabalho de acordo com as características respectivas dos seus colaboradores.

Calcule a percentagem de tempo que esta delegação teórica lhe pode poupar.

Tempo esse que poderia usar para fazer trabalhos importantes e que lhe dão satisfação.

Se quase nunca delegou tarefas no passado, pode a princípio observar alguma resistência.

Mas, em pouco tempo, deverá ver os seus empregados a transbordar de entusiasmo e boa vontade -- ficarão felizes por finalmente serem levados a sério e tratados como os adultos produtivos que são.

Esta questão também foi abordada no teste.

Não era mais motivado pelo elogio e as boas notas do que pela crítica e a censura?

Não hesite em elogiar os seus aderentes se eles trabalham bem.

Não exagere com elogios compridos -- deixe só ficar claro que aprecia um trabalho bem feito: "O relatório que elaborou a semana passada estava muito bem feito", ou: "Aprecio muito o esforço que está a fazer", ou: "Aprecio o trabalho que está a fazer".

Seja o mais breve e directo possível.

Apesar de já terem sido remunerados pelas horas extraordinárias, os seus empregados gostarão que lhes diga pessoal e delicadamente que apreciou o trabalho extra que estão a fazer.

E, no futuro, não terá problemas para encontrar voluntários para trabalhar horas extras quando tal for necessário.

Não deixe que situações problemáticas se transformem em crises.

Trate o abcesso logo que souber que existe!

Se algum dos seus empregados parece estar descontente ou triste, seja directo e pergunte qual é o problema.

Não dramatize as coisas demasiadamente, não há necessidade de desenvolver um confronto público.

Diga apenas que está disponível e que, se querem falar sobre alguma coisa, o podem fazer.

Se um empregado passa o tempo a fazer má cara, pergunte discretamente se ainda gosta do trabalho, se está tudo bem em casa, se está bem de saúde, etc. Deixe-o saber que se preocupa com ele.

Se o empregado está a ter problemas pessoais, pode ser que se abra, que fale sobre eles e se sinta melhor por isso.

Não faça perguntas por detrás das costas dessa pessoa, que certamente não gostará se o souber.

Se a pessoa não quer falar, não insista.

Mostre-lhe que espera que os seus problemas se resolvam e que, se precisar de si, estará à disposição dela.

Umas poucas e simples técnicas ajudá-lo-ão a conseguir o que quer dos outros.

O objectivo é pôr a outra pessoa num estado de espírito flexível e de fazer com que ela lhe queira agradar.

O simples facto de dizer "Está com óptimo aspecto hoje!"

tem um efeito de poção mágica na outra pessoa.

Se alguém nos faz um elogio sobre a nossa aparência, tal faz o nosso dia resplandecer.

E se elogiar os seus colegas ou alguém que quer influenciar, isso afecta mesmo o seu aspecto!

Se disser a alguém: "Este casaco fica-te mesmo bem!", a pessoa começará a achar que realmente lhe fica bem.

E o que é a beleza senão uma avaliação subjectiva?

É assim que funciona a psicologia da persuasão.

Já falamos sobre isto: para que os outros gostem de si, para conseguir o que quer, para conseguir que as pessoas tímidas saiam da casca, tem de saber ouvi-las.

A maioria das pessoas gostam de falar sobre si mesmas, sobre os seus êxitos ou problemas.

que fizeram, das lembranças de infância dos êxitos profissionais, etc.

Se um colega ou empregado quer contar-lhe o seu problema, ouça-o simpática e atentamente.

Mas nunca, nunca fale dos seus próprios problemas.

A outra pessoa não o quer ouvir.

Mas se quer influenciar essa pessoa a fazer alguma coisa por si, então ouça o que ela tem para dizer.

Crie o hábito de ouvir as pessoas que podem fazer muito por si.

A informação que lhe dão pode vir a ser-lhe muito útil um dia.

Pois verá, dentro de pouco, que é perfeitamente lógico.

Aliás, existem muitas pessoas que experimentam uma espécie de prazer sádico em ver os outros cometerem erros, a serem culpados ou a serem ridículos em público.

Se sente que as pessoas o criticam muito, console-se.

Existe uma relação directa entre o quanto é criticado e o quanto êxito tem!

Quanto mais alto chegar, mais criticado será.

Ao aprender a aceitar as críticas, usá-las-á em seu benefício.

Deixe passar algum tempo antes de passar ao tratamento pelo primeiro nome, especialmente com subordinados.

Mas surgem sempre situações de crise, tanto no trabalho como em casa, e quem sabe gerir o seu tempo, sai-se melhor.

Delicadamente, dê a entender às pessoas que não estará disponível durante umas horas e que, se precisarem de si, estará disponível ao fim do dia.

Existem muitas palavras que tememos empregar com medo de parecermos pretensiosos ou superiores.

carro que o eventual cliente tem nesse momento.

· Tente evitar assuntos controversos, mesmo que ache que a outra pessoa não tem uma forte inclinação para um dos lados.

Estará a perder tempo e arrisca-se a despertar animosidade na pessoa que está a tentar conquistar.

Muitas vezes, tais esforços resultam no oposto daquilo que esperava!

Para concluir, não se esqueça de que, para adquirir poder pessoal, tem de seguir os passes descritos neste livro e que, de cada vez que consegue dar um passo, tem de o ligar com aqueles que realizou anteriormente.

Cada passo em frente baseia-se naquele que acabou de dar.

Por último, juntam-se todos para formar a chave invisível que conduz ao poder verdadeiro.

Através deste poder, será capaz de compreender a psicologia das pessoas que lidera.

Não abuse delas nem se aproveite dos seus pontos fracos.

Pelo contrário, baseie a sua autoridade nos pontos fortes.

Se os ajudar a tornarem-se mais competentes e orgulhosos dos seus êxitos, conquistará o apoio de primeira classe de que precisa.

Ajudando aqueles que lidera, está a ajudar-se a si mesmo.

Adquirindo uma personalidade magnética, também ganhou aderentes.

Agora será muito fácil tornar-se um líder.

O primeiro passo consiste em fazer com que reparem em si, emergir do anonimato.

Mostrando que é diferente, atrairá a atenção daqueles que estão em situação de conferir autoridade.

Comece por adquirir uma capacidade especial, que poucas pessoas possuem.

Depois, faça um esforço para ser delicado e respeitoso.

Assim, as pessoas gostarão mais de si.

Certifique-se de que tem aderentes eficazes, esta é a chave de todo o poder pessoal.

Tente ser mais diplomático no seu relacionamento com colegas e subordinados.

Seja subtil na resolução de problemas e não perca tempo.

Conseguirá que tomem o seu partido, se tiver uma atitude positiva, ouvindo o que os outros têm para dizer e mostrando interesse nos seus problemas e nos seus êxitos.

Acima de tudo, um líder sabe gerir o seu tempo.

Faça uma lista das tarefas, combata a tendência para adiar, defina as prioridades e tente não dar a impressão de que tem trabalho a mais.

Por último, aprenda as principais técnicas de venda, porque terá de se vender a si mesmo e às suas ideias.

O retrato de um bom vendedor é semelhante ao de um bom líder.

VOLTAR